App+Saúde: Uma visão de Full Stack

Sempre gostei muito da visão que devemos agir em prol de algo maior e que motive nossa transformação como ser humano. A alguns meses tenho trabalhado com algo que tem me feito me aperfeiçoar em várias frentes e que me orgulho muito de ver o resultado atual, mas antes de falar um pouco do que aprendi, deixem falar sobre o projeto.

Já havia mencionado o projeto anteriormente, mas não custa lembrar que o projeto App+Saúde tem como objetivo criar uma aplicação que ajude a governantes e instituições na tomada de decisão, é uma ferramenta para coleta de informações georreferenciadas de famílias, que visa permitir a análise sobre a aplicação de recursos futuras em comunidades isoladas da Patagônia. O App+Saúde tem ainda outras aplicações que ainda não foram exploradas por nos ainda.

Porém hoje aqui queria dividir com vocês algumas coisas interessantes que me fizeram acreditar que este projeto além de haver um belo motivo social, também transformou-me através de novas habilidades que tive que aprender.

Afinal este trata-se de um projeto Internacional, o que me fez refletir sobre questões não apenas nacionalistas, mas sobre a cultura e lingua que impacta sobre o esperam e desejam no projeto. É muito bacana o nível de cooperação que se pode realizar quando se tem uma comunicação plena, objetiva e através de canais que colocam todos no projeto, é mais difícil, porém o resultado final é a iteração entre diversos requisitos que foram atendidos e aclamados tanto pela equipe brasileira (arquitetos em sua maioria) como argentinos (geógrafos, arquitetos e agentes de saúde em sua maioria).

Organiza a informação em um banco de dados é algo que trata-se de traduzir as necessidades e regras da aplicação em si para um SGDB, ou mais de um no meu caso, com isso é necessário exercitar a compreensão do que falei acima sobre a comunicação e também estabelecer um padrão (leia o post API: Realm & Retrofit) que facilite o trabalho. Transferir informações que foram armazenadas em um dispositivo e mandar par ao outro evitando a duplicação é algo que necessita de auxilio, usar os modelos propostos pelo UML são úteis nesses momentos.

Acredito que a criação de uma API trata-se de um momento importante que muitas vezes é negligenciado pelos desenvolvedores, mas não há sincronia sem ela, não há como vencer sem vê-la como parte principal do time e integrada a solução web. Também não poderia deixar de dizer que devemos sempre usar ferramentas que auxiliem a maximizar o desenvolvimento: Sejam eles frameworks (no meu caso o uso do atHome), sejam eles padrões de interface (Material Design), padrões de desenvolvimento (MVC) e de gerência de projeto (SCRUM).

Mesmo que estejamos falando de uma equipe pequena nada é mais importante que manter-se organizado, post-its parecem “old school” assim como quadro branco e uma caneta e um papel? Sinto em te informar, mas estes são fundamentais para trazer o problema a uma perspectiva menos digital e mais tangenciável ao mundo real. Exercitá-los foram fundamentais também.

Claro a identidade visual, sempre gosto muito da visão minimalista, porém com sofisticação no resultado final. Não sou design de formação, mas acredito que ser minimalista e usar um design mínimo possível não é usar fonte times sobre uma folha sem demais elementos, isto não ajuda ao usuário identificar a ação proponente aquele elemento, porém isso não te dá um cheque em branco para fazer uma tela cheia de pop–ups e texto. Nada é por acaso, nem mesmo a posição em um layout, devemos estar sempre atentos as ações do usuário sobre como ele manipula a aplicação e se ele entendeu corretamente o que deveria fazer. Ele é o usuário e para ele deve-se desenvolver, “ah ele vai entender” é o sinal mais forte de que você está sendo negligente em algo.

Por fim, mas não menos importante é também saber realizar ações além da gerência de projeto, de codificação e de design, nos projetos que participo sempre tenho a oportunidade de aprender coisas novas de marketing e também como apresentar par ao público final. Gerenciar conteúdo digital através de páginas no facebook, criar artes e também analisar através de ferramentas como o Google Analytics para compreender quem e como navegam sobre a aplicação não trata-se de um diferencial, é uma necessidade para quem um dia deseja tornar-se pleno, não só como desenvolvedor, mas como alguém capaz de estar a frente de um projeto como o App+Saúde.

Ainda há muito o que aprender, mas este trabalho junto com os que realizo na Indeorum tem me feito estar presente em diversas áreas e expandir ainda mais o conceito que tinha de desenvolver de forma plena ou como chama Develop Full Stack. ☺️

Agora fica o convite para conhecer o Sistema Web, o Sistema Android e também acompanhar na Página do facebook.

Compartilhe com seus amigos!

Leave a Reply